Orientadores

* ADRIANO BASEGIO
[ formação de atores ] [ expressão e criatvidade ]  [experimentos em teatro ]   [ iniciação teatral ]
[ ritmo, sonoridade e movimento]

Ator, diretor e professor de teatro e música, Licenciado em Educação Artística – Hab. Artes Cênicas/UFRGS e Escola de Música da OSPA. Formação em Mimo Corporal com Thomas Leabhart (Paris) e École Philippe Gaulier (Paris). Aperfeicoçamento na SITI Company – Técnica Suzuki e Viewpoints (Nova York).

Fez cursos com: Angela de Castro, Yoshi Oida, Sotigui Kouyaté, Leo Bassi, Hugo Moss, Grupo Potlasch (Itália), Maria Lúcia Raymundo, Inês Marocco, Daniela Carmona, Roberto Birindelli, Grupo LUME, Ivaldo Bertazzo, Luis Carlos Vasconcelos, Moacir Chaves entre outros. Participou de diversos espetáculos nas funções de ator e músico, entre eles destacam-se: “TZA TZA IVSTABÓ” dir. de Flávio Bicca, “O Pequeno Principe” e “O Parturião” dir. de Néstor Monastério, “Esconderijos do Tempo” dir. de Elena Quintana e Marco Fronchetti, “Fellini per Stravaganza” com Cia Teatro de Satravaganza e “Clownssicos”, “Larvárias” e “O Sonho de uma Noite de Verão” da Cia do Giro onde também é diretor/fundador ao lado de Daniela Carmona.

No cinema e TV tem participações como ator e diretor musical: “O tamanho que não cai bem” – Melhor Curta-Metragem Gaúcho e Prêmio Especial do Júri – 29º Festival de Gramado, “Noite de São João” de Sérgio Silva, “Quando Casar Sara” e “O Mujica” de Hique Montanary – PREMIO DE MELHOR ATOR COADJUVANTE, “Porto dos Mortos” de Davi Pinheiro, entre outros.

Como diretor destaca-se “O Sonho de uma Noite de Verão” – 2008, “Encontros”- 2004, “RecicloBrothers” – 2001 e as Co-direções de “Theatro Esperança” junto com Daniela Carmona – 2001 e “Memória – A Cidade Invisível” com Roberto Birindelli – 2000.

Desde 1994 ministra cursos de teatro e música para crianças e adolescentes, além de cursos periódicos de Formação de Atores. Professor do TEPA – Teatro Escola de Porto Alegre. Há 10 anos desenvolve pesquisa sobre a exploração de Ritmos e Sonoridades para suporte da cena dramática ministrando oficinas periódicas sobre a pesquisa.

* DANIELA CARMONA
[ formação de atores ]   [ estilos de interpretação teatral ]

Atriz, diretora e professora, Bacharel em Artes Cênicas pelo DAD/UFRGS; participou de pesquisa técnica sobre as Energias Corporais de Arthur Lessac e a Antropologia Teatral de Eugênio Barba, sob orientação de Irion Nolasco e Maria Lúcia Raymundo. Formação na École Philippe Gaulier (Londres), Mimo Corporal, método Etienne Decroux com Thomas Leabhart (Paris) e Michael Chekhov Acting Studio (Nova York)

Cursos de Aperfeiçoamento na SITI Company – Técnica Suzuki e Viewpoints (Nova York),  Laban Centre for Moviment and Dance (Londres), Clown com o Grupo Colombaioni (Madri), Sotigui Kouyate, Yoshi Oida, Ivaldo Bertazzo, Perla Jaritonsky, Luis O. Burnier, Carlos Simioni, Wolker Quandt, Pino di Buduo e Daniela Regnole, Helena Maria Varvaki, Leo Bassi, entre outros.

É fundadora e professora do TEPA – Teatro Escola de Porto Alegre. Diretora da Cia do Giro ao lado de Adriano Basegio, companhia teatral de destaque no cenário nacional e com participação ativa em diversos festivais de teatro no Brasil e no exterior (Espanha, Portugal, Venezuela, Argentina, Uruguai, Equador, Suécia). Dentre vários trabalhos em teatro, destacam-se as atuações em Antônio Chimango, Boca de Luar, Náufragos, Um Inimigo do Povo; a encenação de Besta-Fêmea, Clownssicos, Arruaça e a direção-atuação em Gueto Bufo, O Sonho de uma Noite de Verão e Larvárias. Co-autora do livro TEATRO – Atuando, Dirigindo e Ensinando, pela Editora Artes & Ofícios, 2004 – POA. Daniela foi contemplada como Melhor Diretora e Atriz por Gueto Bufo (prêmio Açorianos, FETEL e Scalp 1998) e como Melhor Diretora e Dramaturga por Clownssicos (prêmio Açorianos 2007). Carmona também ministra inúmeros seminários, palestras e conferências em diversas instituições de ensino e encontros de Artes Cênicas dentro e fora do País.

* FERNANDO KIKE BARBOSA
[ formação de atores ]
[ oficina de montagem ]

Ator e diretor, com trabalhos em teatro cinema e televisão. Iniciou sua carreira junto ao grupo gaúcho “Ói Nóis Aqui Traveiz”, com o qual, ao longo de 8 anos, realizou diversos projetos com intensa atividade na área da pesquisa teatral, voltada tanto para espetáculos em ambientes fechados como para as ruas, exercendo as funções de ator, oficineiro, diretor e produtor. Entre os espetáculos deste período destacam-se trabalhos como “Antígona” (1990) e “Dr. Fausto” (1994), que lhe rendeu o Prêmio Açorianos de melhor ator-coadjuvante.

A partir de 1997 passa a trabalhar com diversos grupos e diretores onde destacam- se: “Uma Professora Muito Maluquinha” (1997), direção de Adriane Mottola (Prêmio Tibicuera RS e Prêmio Iznard Azevedo SC de Melhor Ator-coadjuvante). “Dois Perdidos Numa Noite Suja” (1997) e “O Barão nas Árvores” (1998), direção de Roberto Oliveira. “O Beijo no Asfalto” (1998), direção de Patricia Fagundes. “Os Crimes da Rua do Arvoredo” (1999), direção de Camilo de Lélis (Prêmio Açorianos de melhor Ator). Como diretor realizou: “Álbum de Família” (1996), indicado para o Prêmio Açorianos de Melhor Espetáculo, “Dorotéia” (1999), com 6 indicações ao Prêmio Açorianos incluindo de melhor direção e espetáculo.

Co-dirigiu e atuou em “As Malcriadas” (2001), com 7 indicações ao Prêmio Açorianos, incluindo aos de melhor ator-coadjuvante, melhor espetáculo e melhor direção. Em 2006, ao lado do ator e diretor Sergio Etchichury, dirigiu “Zona Contaminada”. Atualmemte trabalha regularmente com a Cia. Stravaganza de Teatro e faz parte dos espetáculos do repertório deste grupo, entre os quais, “A Comédia dos Erros”, “Bebê Bum” e “Sacra Folia”.

* JEZEBEL DE CARLI
[ formação de atores ]
[ experimentos em teatro ]

Atriz, professora e diretora de teatro. Mestre pelo Programa de Pós- Graduação em Artes Cênicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, com a dissertação “Movimentos de Encenação em Corpos de Pensamento-Criação”. Bacharel em Artes Cênicas pelo Departamento de Artes Dramáticas/UFRGS. Integrou a pesquisa “A utilização das energias corporais no trabalho do ator” sob a orientação de Irion Nolasco e Maria Lúcia Raymundo. Freqüentou cursos de aperfeiçoamento com Phippe Gaulier, Thomas Leabhart, Luis O. Burnier, Eugenio Barba, Carlo Simioni, Pino di Buduo, Mateo Belli, Vladimir Granov, Fernanda Montenegro, entre outros. Participou do grupo TEAR, sob a orientação de Maria Helena Lopes. Professora do Curso Graduação em Teatro: licenciatura da UERGS/FUNDARTE e do Teatro Escola de Porto Alegre/TEPA.

Diretora da Santa Estação Cia de Teatro, a qual é responsável pelo gerenciamento da sala 309 do projeto Usina das Artes da Usina do Gasômetro. Entre suas últimas realizações destacam-se: a direção teatral de “Parada 400: convém tirar os sapatos” – Prêmio Açorianos de Melhor Direção/2005; “A Tempestade e os Mistérios da Ilha” /2006, (adaptação da obra de William Shakespeare) – Prêmio Quero-Quero nas categorias: espetáculo de teatro infantil, direção, atriz coadjuvante, cenografia, iluminação e trilha sonora original, Prêmio Tibicuera de Teatro infantil/2006 nas categorias: melhor espetáculo do júri popular, atriz coadjuvante, iluminação, trilha sonora original e produção e Prêmio Brasken/2007 de melhor espetáculo pelo júri popular; “Lipstick Station”/ 2008 , experimento musico/teatral inspirado nas trilhas sonoras das peças da Santa Estação; ainda em 2008 trabalhou na preparação corporal do espetáculo “A Comédia dos Erros”, produzido pela Cia Stravaganza, direção cênica do espetáculo de dança “Re-sintos” da Muovere  Cia de dança, a direção artística da opereta “La Serva Padrona” com a Orquestra SESI/FUNDARTE e participou como atriz do espetáculo “Babel Genet” sob a direção de Humberto Vieira.

Em outubro de 2010 a Santa Estação estreou o espetáculo “Hotel Fuck: num dia quente a maionese pode te matar” sob sua direção.

* MARCELO ADAMS
[ formação de atores ]

Ator, diretor teatral e dramaturgo. Bacharel em Artes Cênicas- Habilitação em Interpretação Teatral e Bacharel em Teatro- Habilitação em Direção Teatral, ambos pela UFRGS. Mestre em Teoria da Literatura, pela PUCRS, com a dissertação “O papel do palco e o palco de papel: Trilogia perversa”, sobre a obra de Ivo Bender. Foi professor da Universidade Federal de Santa Maria, de 2007 a 2009, no curso de Artes Cênicas, nas áreas de Teoria do Teatro e Encenação. Fundador da Cia. de Teatro ao Quadrado, junto com Margarida Leoni Peixoto (2002), produzindo diversos espetáculos, entre eles: “Escola de mulheres”, “Goela abaixo ou Por que tu não bebes?”, “Burgueses pequenos”, “O médico à força”, “Mães & Sogras”, “A lição”… Conta também com atuações no cinema e outros espetáculos teatrais  onde angariou premiações, destacam-se: “O homem e a mancha”, “Édipo”, “As núpcias de Teodora- 1874”, “A viúva alegre”, “Morangos mofados”, “Sacra folia”, “Bodas de sangue”, … Possui publicações nas revistas “Prâksis”, “Arquipélago”, “Cena”, “Expressão” e “Teorema”.

* ADRIANE MOTTOLA
[ commedia dell’arte ]

Mestranda em Artes Cênicas no DAD/UFRGS – 2007/2009 e Bacharel em Artes Cênicas com Habilitação em Interpretação Teatral e Especialização em Teoria do Teatro Contemporâneo, pela mesma instituição, lecionou neste departamento como professora substituta (2003/2004), ministrando as disciplinas de Direção, Interpretação e Improvisação Teatral.

Bacharel em Comunicação Social, com Habilitação em Relações Públicas e em Publicidade e Propaganda, pela Famecos/PUC. No ano de 2002 atuou na Curadoria do 9º POA EM CENA e, em 2001, como Diretora Artística do 8º POA EM CENA. Foi Presidente do SATED/RS – Sindicato dos Artistas, gestão 1990-93.

Em 1988, ao lado de Luiz Henrique Palese, cria a Cia. Stravaganza, que em 21 anos encenou 21 espetáculos teatrais, conquistou 101 prêmios e, em 2004, inaugurou sua sede própria – o Studio Stravaganza. Por seu último espetáculo, “A COMÉDIA DOS ERROS”, de William Shakespeare (2008), recebeu os Troféus Braskem e Açorianos de Melhor Direção.

* GYAN CELAH
[ iniciação teatral infantil ] [ montagem infantil ]

Graduando em Teatro-Licenciatura na UFRGS. Em sua trajetória pedagógica atuou como arte-educador de teatro no Centro de Desenvolvimento da Expressão e também na Oficina Sapato Florido da Casa de Cultura Mario Quintana; elaborou e ministrou o projeto “Vida Positiva / arte-educação na prevenção das DST’s”, aprovado e financiado pela UNESCO; colaborou no projeto de extensão “Teatro na Maturidade”, desenvolvido pela professora Carmem Silva no colégio Aplicação da UFRGS. Atualmente é educador social na Pequena Casa da Criança onde orienta oficinas de teatro.

Seus últimos trabalhos como ator e foi no espetáculo “Yvonne, Princesa da Borgonha”, dirigido por Irion Nolasco e também em “Salomé, o Amor e sua Sombra” dirigido por Áurea Baptista. Além de dois anos de experiência com manipulação de bonecos na Prefeitura de Porto Alegre, desenvolve pesquisa em teatro de sombras, da qual teve sua última montagem, “O Boi Velho”, premiada como Melhor Espetáculo no festival do Departamento de Arte Dramática da UFRGS.

* HELOISA PALAORO
[ iniciação teatral pré adolescentes ] [ montagem pré adolescentes ]

Atriz, professora de teatro, produtora e pedagoga. Fundadora da Cia Etceteratral, com Néstor Monasterio e Guto Greco onde encenaram: “O Pequeno Príncipe em Busca de um Amigo”; “Bella Ciao”; “Guerreiros da Bagunça”; “Orquestra de Senhoritas”; “Os Ratos”; “Concílio do Amor”; “Vida Muda”; “Sopa de Palhaços”; “Inimigas Íntimas”; entre outras.

Como atriz participou de mais de 20 montagens, recebendo 07 prêmios de Melhor Atriz, entre eles o Açorianos e o Prêmio do Festival de Teatro de São José do Rio Preto, e 11 prêmios de melhor espetáculo.

Diretora da Cia das Histórias, projeto de contação de histórias para creches, hospitais e associações. Coordenadora e criadora do Projeto S.O.S Fantasia que foi desenvolvido no Hospital da Criança Santo Antônio, em 1998.

Desenvolveu trabalho de pesquisa como pedagoga, nas áreas de educação e saúde com o Projeto “Brincando e Enfrentando a Doença-um programa de educação para a saúde baseado no teatro para crianças hospitalizadas”, no Hospital Luterano.

Atua desde 2003 na peça “Que Raio de Professora Sou Eu?”, dirigida por Néstor Monasterio. Por 14 anos ministrou a disciplina de Teatro no Colégio Israelita Brasileiro.

* JOANA ISABEL
[iniciação teatral] [cinema e tv ]

Mestre em Artes (2009 – UFRGS) pesquisou o processo de ensino e aprendizagem na iniciação teatral. Graduada em Licenciatura em teatro, foi professora durante oito anos do Curso de Extensão Introdução à Interpretação Teatral: Corpo, Voz, Ação da UFRGS. Ministra Oficinas de Teatro na ESPM, dá aulas de interpretação para TV e Cinema na Escola de Atores e é professora do Workshop Teatro e Transformação.

Atriz formada também pelo TEPA (1998) atuou em espetáculos de teatro de rua como Os Sete Pecados do Capital de criação coletiva do grupo Povo da Rua; em espetáculos direcionados para o público infantil, na Cia Teatro Novo, como Cinderela, Peter Pan e A Bela e a Fera dirigidos por Ronald Radde; participou da montagem do texto de Samuel Beckett, All Thath Fall, dirigido por Binho Sautzvy; e, participou como atriz em minissérie para a TV portuguesa e em curtas para a PUC.

* LIANE VENTURELLA
[ oficina de montagem ]

25 anos como atriz, produtora e diretora é formada em Relações Públicas pela PUC/RS, cursou Arte Dramática na UFRGS. Formada na Desmond Jones School of Mime and Phisical Theatre (Londres), estudou na École Philippe Gaulier (Londres), participou de vinte e seis montagens teatrais entre elas: A BELA ADORMECIDA, Troféu Quero-Quero Sated de melhor Atriz, DECAMERON, UMA PROFESSORA MUITO MALUQUINHA, DOROTÉIA, AUTO DA COMPADECIDA, PRÊMIO AÇORIANOS DE MELHOR  ATRIZ COADJUVANTE DO ANO DE 2001, TODA A NUDEZ SERÁ CASTIGADA, AQUELAS DUAS, CALAMIDADE, com direção de Cláudia de Bem, PRÊMIO AÇORIANOS DE MELHOR ATRIZ DO ANO DE 2006.

Trabalha em vários projetos no cinema como atriz entre eles:  SUPER FLUFI, A FEIJOADA, SKETCHES e PESADELO que lhe valeu o  PRÊMIO APTC DE MELHOR ATRIZ MOSTRA 2004. Na televisão trabalhou nos especias da RBSTV Caminhos Cruzados e 4 Destinos. Realizou a direção de cena do Circo Minimal, ODOYA, XIRE DAS ÁGUAS e dirigiu o Gordo e o Magro Vão para o céu.

* LUCAS DE MELO
[ circo – acrobacia ]

Lucas de Melo iniciou sua carreira como artista circense na escola de circo Vivendo e Aprendendo, na cidade de Teresina- PI, especializando-se em acrobacia e onde ministrou aulas dessa modalidade. No Piauí, participou de movimentos artísticos junto ao grupo “Pé de Moleque”, antes de migrar para o Instituto do Beto Carreiro, na cidade da Penha- SC, onde profissionalizouse e atuou no circo do Beto Carreiro como a atração principal durante três anos. Passou por diferentes regiões e participou de diversos programas televisivos, quando uniu-se ao Circo do Bananinha – SBT, onde atuou por mais dois anos. Atuou ainda, no circo Italiano, participou de movimentos junto a outros circos, como circo de Moscou. No Rio Grande do Sul, participou do movimento nacional de malabares, uniu-se ao grupo de circo teatro Girassol, onde ministrou aulas e segue atuando como artista (acrobata, aro cyr Wheel, malabares, perna de pau, perna de mola). Atua como instrutor de acrobacia, faz apresentações artísticas, estrutura números, perfomance, etc.

* LUCIANO FERNANDES
[ circo – equilibrios ]

Ator, circense e professor de Circo. Em 1998 inicia pesquisa de utilização e construção de pernasde-pau com mais de 100 pares já construídos. Em 1999 participou da Escola de Circo Renato Coelho, e em 2001 realiza em Porto Alegre o III Encontro de Malabares Circo e Percussão do Brasil como Coordenador Geral do Evento. Em 2003 participa do Programa Domingão do Faustão no quadro “Se Vira nos Trinta” com o número de andar de Skate com pernas de pau. Em 2008 inicia como professor no Projeto Jovem do Futuro dando aulas de circo durante três anos no Colégio Tubino e no Instituto de Educação. Em 2009 assume a Diretoria de Circo do Sindicato dos Artistas -SATED/RS e em 2010 assume a Presidência da Casa do Artista Riograndense.

* MIMA PONSI
[circo – trapézio ]

Atriz, trapezista e professora de trapézio. Mestre em Estudos Teatrais pela Université Paris 8 (França), com a pesquisa « Modos de Constituição de Dramaturgia no Circo Contemporâneo”. Bacharel em Artes Cênicas, Habilitação em Interpretação Teatral pela UFRGS, cujo trabalho de conclusão foi orientado pela professora Maria Lúcia Raymundo. Integrou o Grupo Falos & Stercus participando dos espetáculos: « O Clã Destino », « PM2 » « Mythologias do Clã » e « La Loba », além de muitas performances com o grupo durante cinco anos. Ao longo dos oito anos em que viveu na França, frequentou o curso de mimo corpóreo com Thomas Leabhart, de técnicas circenses na Académie Fratellini, na Escola Les Noctambules e Rosny-sous-Bois, foi aluna de trapézio e assitente de Zoé Maistre durante cinco anos. Como atriz e trapezista, participou de espetáculos e performances na França e Europa com as companhias: Les Studios de Cirque de Marseille, de Pierrot Bidon, Louxor Spectacles, de Vincent Loubert, Les Passagers, de Philippe Riou, entre outras.

* PÂMELA AMARO
[ teatro para pequeninos ]

Estudante de licenciatura em Teatro DAD/UFRGS; estagiária de teatro no Centro de Desenvolvimento da Expressão (CDE), destaque no XIX Salão de Iniciação Científica da UFRGS  com a pesquisa A relação entre gesto e palavra possibilitando uma técnica de criação para o ator teatral , sob orientação da Professora Cristiane Werlang (DAD/UFRGS).

Atriz e cantora nos espetáculos Opereta Pé de Pilão e Recital-Musical Minas de Conceição Evaristo; pesquisadora sobre cultura e identidade afro-brasileira; integrou o grupo de comissão de frente da entidade carnavalesca Bambas da Orgia em 2008; pesquisadora musical e instrumentista em percussão e cavaquinho.

* RAFAEL GUERRA
[ cinema e tv ]

* SOFIA FERREIRA
[ teatro para crianças ]

Sofia Ferreira, formada pelo Teatro Escola de Porto Alegre em 2005 – em curso ministrado por Daniela Carmona, Zé Adão Barbosa e Luiz Paulo Vasconcello – iniciou sua instrumentalização teatral com Jezebel de Carli e Adriano Basegio no curso Experimentos em Teatro, nesta mesma escola.

Ingressou na academia cursando Licenciatura em Teatro no Departamento de Arte Dramática no ano de 2006, no Instituto de Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Ao completar o primeiro ano na universidade finalizava seus estudos no TEPA com o curso avançado de Estilos Teatrais. Estagiária do Colégio Aplicação, participou de oficinas como Práticas de Ideias Teatrais com o Grupo Espanca (MG) e  Dramaturgia do Ator de Georgette Fadel (SP).

Como experiência nesses sete anos de prática teatral estreou oito espetáculos, entre eles Agora Eu Era do Grupo VAI! Cia de Teatro, contemplado com o Prêmio Myriam Muniz de Teatro 2009; PERU, NY; e dentro da Mostra Anual Universitária de Teatro Pesquisa e Extenção da UFRGS os espetáculos Para F.K e As Artimanhas de Arlecchino – além de leituras dramática, esquetes, mostras de processo, curtas e eventos.

*SOFIA SCHUL
[iniciação teatral]

* TAINÁ BORGES
[ circo – tecido ]

Tainá Borges é artista e professora circense. Participa dos grupos Cabaré Valentin e Circo Híbrido, atuando em espetáculos e números circenses, como acrobata aérea, malabarista e palhaça. Trabalha como professora circense desde 2006. Ministrou oficinas como: Oficina de Malabares e Técnicas Circenses (SESC POA); Oficina de Dança Aérea (Usina do Gasômetro) e Oficinas Permanentes de Dança Aérea (Espaço Livre – em andamento). Participa das Convenções Brasileiras de Malabarismo e Circo desde 2001. Seu aperfeiçoamento na área circense e artística vem desde 2001 com: Oficina de Acrobacia Aérea e Solo (Circo Girassol); Aulas de Tecido e Trapézio (Cristiano Carvalho); Oficinas de Dança Aérea (Gentependurada); Trapézio Fixo (Dominique Martins); Comicidade Física (La Mínima – SP); Dança Acrobática (Alexandre Bado); Consciência Corporal aplicada ao Circo (Paulo Laco Guimarães); Oficina de Acrobacias Aéreas, Nível Avançado (Escola Nacional de Circo – RJ); Workshop de Segurança em Trabalhos em Altura (Elton Fagundes – RS).

* TATIANA VINHAIS
[experimentos em teatro]

* VICENTE SCHEREDER
[cinema e tv]

Formado em Produção Audiovisual – cinema e vídeo na PUCRS. É diretor de imagens, cinegrafista, editor e professor. Trabalhou como diretor de produção no curta metragem   “Frustração” de 2007, como roteirista e diretor de fotografia do curta metragem “ Capital de giro” de 2007, como roteirista do documentário “ De todos poentes – ilha das flores “ de 2007, como diretor de fotografia do curta metragem “Um olhar só” de 2008, como diretor de fotografia do curta metragem “Eu vejo” de 2008 (selecionado para a Mostra independente de audiovisual universitário – Miau e para o Festival de Cinema de Campinas) e como editor do curta metragem “O rosto que sorri” de 2009. Participou da equipe de produção de diversos curta metragens da PUCRS. Trabalhou na Escola de Atores de TV & Cinema, cerca de três anos,  onde atuou como diretor de imagens e professor de Cinema. Atuou na televisão como cinegrafista.

This entry was posted in Orientadores and tagged by tepateatroescoladeportoalegre. Bookmark the permalink.

About tepateatroescoladeportoalegre

TEPA Teatro Escola de Porto Alegre é um Centro de Produção, Pesquisa e Formação Cultural fundado em 1996. Desde sua fundação, tem produzido espetáculos que se diferenciam pelo valor artístico no panorama cultural do Rio Grande do Sul. O TEPA viabiliza e apoia produções de espetáculos profissionais, montagens de conclusão de cursos de sua própria escola e atividades de cunho cultural, como o fomento a grupos de pesquisa em linguagens de estilo, eventos para empresas e produções ligadas ao cinema e à televisão. Qualifica novos atores através do Curso de Formação, que possibilita ao aluno providenciar seu REGISTRO PROFISSIONAL provisório através do SATED/RS - Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão, uma vez que este obtenha avaliação positiva frente à Banca Examinadora, no final do curso. Para obtenção do Registro Profissional definitivo é necessário cursar o Nível Avançado - Estilos de Interpretação Teatral. Oferece ainda a alternativa de aperfeiçoamento com o seu Curso de Estilos de Interpretação Teatral (único no Brasil), desenvolvido e coordenado pela diretora e sócia fundadora do TEPA Daniela Carmona. O TEPA também amplia as possibilidades de atuação no mercado com a introdução em seu currículo de disciplinas voltadas para o exercício da interpretação em rádio, tv e cinema. Também oferece Oficinas Permanentes, que servem como complementação curricular ao núcleo formador da escola: Cenografia, Dramaturgia, Dança Contemporânea, Expressão Vocal para Rádio-Cinema-TV, Maquiagem, Produção Cultural, Teatro-Terapia, além dos núcleos TEPA Infantil e Pré-adolescente. Também promove oficinas de artistas de outros estados e do exterior. Enfim, um espaço que propicia o desenvolvimento de projetos e oficinas permanentes para os pesquisadores e interessados na linguagem teatral.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s